Praxes abusivas

Para professores, alunos e funcionários do ensino superior
Avatar do Utilizador
Pedro
Administrador
Administrador
Mensagens: 12007
Registado: quarta-feira, 10 novembro 2004 20:07

Praxes abusivas

Mensagem por Pedro »

Educação: Governo cria e-mail para denúncia de praxes violentas

Os alunos vítimas de praxes violentas ou abusivas podem queixar-se ao Ministério da Educação e do Ensino Superior através de um endereço de correio electrónico que acaba de ser criado pela tutela. Esta iniciativa insere-se numa campanha nacional lançada pelo Governo, sob o mote “Não és obrigado a ser praxado”.

Os estudantes que se sintam violentados ou vítimas de praxes abusivas podem denunciar este tipo de situações através de uma mensagem para praxesabusivas@mec.gov.pt.

O secretário de Estado do Ensino Superior, José Ferreira Gomes, afirmou à Rádio Renascença que “o e-mail é o último recurso para que o estudante possa alertar o Governo face a uma situação anómala”, garantindo que todas as mensagens de correio electrónico recebidas serão acompanhadas.

Este procedimento de denúncia prevê que as instituições de ensino superior visadas sejam instadas a verificar o que se passa e, nos casos que se comprove que tenha alguma gravidade, “o Governo não deixará de actuar”, garantiu o secretário de Estado.

José Ferreira Gomes considera que os regulamentos das instituições devem ser claros e punir, disciplinarmente, um aluno que pratique “actos de violência ou coacção” sobre outro.

A campanha arranca hoje nas universidades e politécnicos, com a distribuição de folhetos informando os novos alunos que têm o direito a não participar na praxe.

Esta iniciativa foi aprovada, por unanimidade, pelos deputados da Assembleia da República, em Fevereiro de 2014, na sequência da morte de seis estudantes universitários, ocorrida na Praia do Meco, alegadamente, num episódio trágico relacionado com uma praxe académica.

Fonte: Campeão das Províncias
Não sei se será um e-mail a resolver o problema... parece-me que é mais uma questão de atitude/educação/civismo e os passos iniciais terão de ser dados pelos responsáveis pela praxe.