Data/Hora: domingo, 15 setembro 2019 11:15


Herbalife investigada nos EUA por “esquema em pirâmide"

O geral das generalidades... para discutir tudo!
Avatar do Utilizador
Pedro
Administrador
Administrador
 
Mensagens: 11860
Registado: quarta-feira, 10 novembro 2004 21:07
Localização: Coimbra

Herbalife investigada nos EUA por “esquema em pirâmide"

Mensagempor Pedro » sexta-feira, 14 março 2014 11:44

Herbalife investigada nos EUA por suspeita de “esquema em pirâmide”

Inquérito foi aberto depois de denúncias de que a empresa alimentaria os lucros com um esquema de adesão de novas pessoas à rede de distribuidores e não com a venda de produtos. Madoff e Dona Branca são dois casos que se celebrizaram com esta suposta actuação.

A Herbalife, empresa conhecida pelos seus suplementos alimentares, está a ser investigada nos Estados Unidos, na sequência de suspeitas sobre os seus lucros virem de um esquema de adesão de novas pessoas à rede de distribuidores, em vez de resultarem da venda directa de produtos a clientes.

A empresa, que, em Fevereiro, anunciou que fechou 2013 com um lucro 23% superior ao do ano anterior, num valor que ultrapassa os 380 milhões de euros, e com vendas-recorde de 3500 milhões de euros, vê-se agora envolvida num suposto esquema conhecido como “esquema em pirâmide” ou “esquema Ponzi” – através do qual as empresas ou negócios se alimentam pelas novas adesões a uma determinada rede e não pela venda directa de produtos ou prestação de serviços – e que se celebrizou no estrangeiro em casos como o de Bernard Madoff e em Portugal com o de Dona Branca.

A investigação, aberta pela Comissão Federal do Comércio dos Estados Unidos e confirmada pela própria empresa, surge depois de, em Dezembro de 2012, terem começado as acusações sobre o esquema em pirâmide. Na altura, o gestor de hedge funds Bill Ackman entrou numa guerra aberta com outro accionista da empresa, Carl Icahn. O primeiro defendia que os lucros da empresa tinham como base um esquema Ponzi e inflação de produtos e dizia que, por isso, em breve, a bolha rebentaria e tudo ruiria. O segundo reforçou sempre a confiança no trabalho da Herbalife. Quem quiser começar a colaborar com a empresa como distribuidor tem sempre de investir uma quantia inicial que, teoricamente, recupera quando trabalhar, como explica o site da empresa.

Para comprovarem as suas teses, ambos apostaram forte nas acções da empresa, mas em sentido contrário: Ackman em como elas iriam desvalorizar, Icahn em como a Herbalife continuaria a crescer. Na véspera da acusação, Ackman tinha reforçado as acusações sobre actuação fraudulenta e adiantado que tem novas provas.

Durante o ano de 2013, surgiram vários apelos a que o caso fosse investigado, nomeadamente por parte de membros do Congresso dos EUA, destacando-se a intervenção do senador democrata Edward Markey junto do organismo que regula a bolsa daquele país. Agora a Comissão Federal do Comércio dos Estados Unidos decidiu abrir uma investigação formal à empresa sediada em Los Angeles, que se celebrizou mundialmente com a venda de produtos de nutrição em mais de 80 países, onde se inclui Portugal, sendo conhecida pelos seus batidos e suplementos dietéticos e pelo slogan “Quer perder peso? Pergunte-me como”.

Em reacção à decisão, a empresa, através de um comunicado divulgado no seu site internacional, disse que “o inquérito é bem-vindo, dada a tremenda quantidade de desinformação no mercado”, prometendo ainda colaborar com a comissão. “Estamos confiantes que a Herbalife age em conformidade com todas as leis e regulamentos que lhe são aplicáveis”, lê-se na nota. O PÚBLICO contactou a assessoria de imprensa da empresa em Portugal, mas não foi possível obter um comentário.

Apesar dos resultados em 2013, logo nos primeiros meses após as acusações de Bill Ackman, a empresa teve grandes quedas em bolsa – conseguindo depois recuperar. Agora, com a publicitação da investigação, as acções chegaram a estar a cair 17%, segundo o Wall Street Journal, chegando a sua transacção a ser interrompida em Nova Iorque durante cerca de meia hora. Segundo o Financial Times, a investigação aos esquemas em pirâmide costuma demorar entre 12 e 18 meses. O processo começa com uma revisão da estrutura da empresa, para perceber a forma como as pessoas são recrutadas e perceber se há vias paralelas.

Fonte: Público


Espanta-me como é que só agora estão a chegar a esta conclusão...

Avatar do Utilizador
Ricky147
Lendário
Lendário
 
Mensagens: 1006
Registado: segunda-feira, 04 setembro 2006 11:53
Localização: Coimbra

Re: Herbalife investigada nos EUA por “esquema em pirâmide"

Mensagempor Ricky147 » sexta-feira, 14 março 2014 13:11

Puff... oa americanos descobriram a pólvora!!!
Ricardo Nuno


Voltar para Geral

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

cron