Página 3 de 3

Re: Greve dos professores

MensagemEnviado: quarta-feira, 10 julho 2013 1:57
por Chong Li
|zype| Escreveu:vocês quando não têm mais nada para dizer, começam a falar dos erros ortográficos, o normal dos comentadores de internet, eu não estou a fazer uma tese, estou num forum, sorry about that.


Não é por estares num forum ou deixares de estar que escreves, por exemplo, "aderencia à greve".
Isto é mesmo ignorância.
Mas longe de mim pensar que tens culpa. A culpa foi dos teus professores, não pelas greves que fizeram nessas aulas específicas de Português, mas por te terem deixado andar até chegares ao Ensino Superior.

Re: Greve dos professores

MensagemEnviado: quarta-feira, 10 julho 2013 19:09
por |zype|
bla bla bla, não sei porquê que em toda a internet, ninguém me responde a isto: "porque não fazem greve de zelo" ???

Re: Greve dos professores

MensagemEnviado: quarta-feira, 10 julho 2013 23:44
por Tide
Porque a greve de zelo funciona em cargos de contacto directo com o público, fazer greve de zelo com os garotos como seria? O impacto visual e para os pais seria igual a um outro dia qualquer.

Re: Greve dos professores

MensagemEnviado: quinta-feira, 11 julho 2013 22:21
por |zype|
Tide Escreveu:Porque a greve de zelo funciona em cargos de contacto directo com o público, fazer greve de zelo com os garotos como seria? O impacto visual e para os pais seria igual a um outro dia qualquer.


essa é desculpa do custume para não a fazer

Re: Greve dos professores

MensagemEnviado: quinta-feira, 11 julho 2013 23:21
por Tide
Tu perguntaste e eu respondi.

Agora, se parte do trabalho de um professor é a preparação das aulas e dos alunos (actividades realizadas fora das salas de aula e do horário contabilizado) responde-me como é que desempenhar estas actividades com zelo extremo teria repercussão visível?

Nota: não sou professor.

Re: Greve dos professores

MensagemEnviado: sexta-feira, 13 setembro 2013 10:22
por Pedro
Desemprego é o futuro para cerca de 37 mil professores

Dos 43 mil docentes ainda por empregar, apenas 5794 conseguiram ontem um contrato para lecionar este ano letivo. Há mais 1900 lugares para disponibilizar nas escolas.

Dos 43 mil professores que ainda estavam sem colocação nas escolas portuguesas, apenas 6593 foram chamados na Contratação Inicial de Professores. De acordo com a nota de imprensa do Ministério da Educação e da Ciência, foram colocados 5454 professores contratados, aos quais se juntam 793 através do recurso a professores de carreira que estavam sem componente letiva (DACL).

Para a Fenprof, os números ontem divulgados "confirmam que a instabilidade e o desemprego são imagens que marcam o início de um ano letivo que o ministro da Educação e o primeiro-ministro teimam em considerar absolutamente normal". No entender da federação de professores liderada por Mário Nogueira, "dos cerca de 43 mil docentes desempregados, foram colocados 5454, dos quais 879 em horários temporários".

Fonte: Diário de Notícias


Enquanto isso, vão surgindo relatos de turmas com mais de 30 a 40 alunos...